Specialized Turbo Levo: um erro bem lucrativo.

Atualizado: 23 de dez. de 2021



Um erro de cálculo da Specialized que fez o mercado reinventar a roda, ou melhor, a bicicleta. As e-mtb, e-bikes, bicletas elétricas, viraram febre, mas ninguém previa isso.


Concebidas inicialmente para um público bem específico, que não possui uma boa condição física de pedalar, seja por idade ou sobrepeso, a primeira e-mtb do mercado não veio para quem pedalar já era rotina, muito antes pelo contrário, foi criada para incluir pessoas que se viam distantes de poder passear de bicicleta por aí com seus filhos, netos e amigos, tudo de forma bem despretensiosa.


Mil testes para se construir uma bicicleta boa:


Empresas antes de lançarem produtos no mercado buscam informações, dados, comparam e analisam gráficos, mas, nada disso garante o sucesso de um produto, somente uma coisa é capaz de validar o produto: o teste. Então, as empresas testam, e muito!


Em um ambiente de projeto tudo é muito bonito e as coisas dificilmente dão errado. Os gráficos são lindos, as contas sempre fecham, mas só o teste e a penetração de mercado é capaz de dizer se um produto dará certo ou não. Ou melhor, se venderá para aquele público que você planejou e naquele preço que deseja.


Quando se lança o produto no mercado é que a resposta vem, seja positiva ou negativa. No caso da Specialized Turbo Levo a resposta foi positiva, mas de um jeito diferente. Quando lançada em 2015, essa e-bike não era indicada a já praticantes de All Mountain/Enduro, tal como se dá hoje. Era uma bicicleta inclusiva, facilitadora, para aqueles que gostariam de pedalar, mas que fisicamente eram mais limitados.


O que ninguém esperava: acertaram em cheio um mercado inesperado.

O mercado de bicicletas de All mountain e Enduro já contava com bikes excelentes, com tecnologia de ponta, etc. Porém, as bikes desse mercado sempre foram difíceis de se guiar, do ponto de vista de condicionamento físico. Como dispõem de suspensões de grande curso, no geral não são bicicletas ágeis e leves, pelo contrário. Foi aí que entrou a cereja do bolo: o motor!


Yeti 160E E-bike bicicleta elétrica e-mtb corcovas
Richie Rude em testes com a Yeti 160E. Foto: Yeti Cycles.

As bicicletas eram boas, ok, mas faltava condicionamento físico para levá-las até o topo da montanha, porque a maioria dos praticantes de All mountain-Enduro, são pessoas normais e que nem sempre estão com a dieta em dia, as vezes rodando de bike apenas aos fins de semana, ou seja, uma vida normal. Então, façamos as contas: uma bike mais pesada e um biker com um físico não muito preparado é igual a... pouca diversão. Mas, isso mudou.


O motor pegou essa galera em cheio! A Specialized errou o alvo, ainda bem!

Se faltava um empurrãozinho, agora não falta mais. Os motores elétricos adicionaram o tempero que faltava para essas bicicletas, pois legais elas já eram, mas agora a diversão mudara de nível. Com o motor auxiliando, os motores são de assistência e não como em uma moto, as bikes de enduro ganharam a capacidade de serem levadas mais longe, de subirem em lugares praticamente impossíveis de se ir pedalando bicicletas mecânicas normais e não perderam suas características principais: suas suspensões grandes e geometria agressiva.


Se por um lado não eram tão ágeis como as bikes de Cross-country (XC), por outro, suas suspensões de grande curso e geometria agressiva, para curvar muito e acelerar morro abaixo, sempre foram o ponto forte da diversão, pois permitiam passar por qualquer obstáculo se divertindo.


O mercado das bicicletas elétricas e uma explosão de vendas:


Foi assim que a Specialized Turbo Levo mudou de mãos, mas não apenas isso, ela trouxe consigo uma família inteira de e-bikes e fez com que as marcas concorrentes se movimentassem e criassem também projetos tão bons quanto. Assim, a Trek trouxe a Rail, a Scott criou a Genius e-ride, a Sense fez a Impulse E-trail, e agora, recentemente a Yeti criou a sua e-bike 160E.


Marcas de motores de e-bikes:


Claro que esse movimento levou fabricantes de motores a se adaptarem. A Shimano criou a sua linha Steps, a Bosch a linha CX e a fabricante de motores Brose, que equipa as bicicletas Specialized, tem trazido novidades significativas para o mercado.


Shimano Linkglide E-bike Bicicleta Elétrica E-mtb Corcovas
Linha Shimano Linkglide para E-bike.

Evoluções em escala em peças e pneus:

De 2015 pra cá, muita coisa mudou e têm mudado. Descobriu-se que as peças e componentes dessas bikes sofrem mais desgastes, tais como: pneus, relação, etc. Como possuem muito torque na roda traseira, as peças convencionais para bikes mecânicas não duram tanto como no outro caso.


Por isso, fabricantes como Shimano e Sram já se adaptaram e criaram linhas específicas para esses tanques de guerra. Esses componentes são mais resistentes e projetados para durar mais tempo. Vários fabricantes de pneus fizeram o mesmo movimento, tal como a Maxxis, com linha de pneus específica para e-bikes e com medidas até 29" de até 2.8 de largura.

E o preço das e-bikes?


Bem, o preço subiu, e muito! Hoje já encontramos essas bikes com valores inacreditáveis, como é o caso da Specialized Turbo Levo Gen 3 2022 que chega por assustadores R$ 145.000,00 (cento e quarenta e cinco mil reais). Mas é possível encontrar opções seminovas com preços "melhores".


Enfim, é isso! Esse foi só o início de um movimento que parece que só começou!


Gostou? Já tem e-bike? Conta aqui pra gente nos comentários.







34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo