Canote retrátil: de artigo luxo à necessidade.

Atualizado: 24 de mar.

Engenhoca criada nas pistas de Enduro/All Mountain, mas que agora tomou conta de bikes de campeões como Henrique Avancini no Cross-country.


Canote retrátil X-Fusion da Specialized Levo SL
Canote retrátil X-Fusion

As competições, via de regra, são o que realmente desenvolve qualquer esporte. Sempre foi assim, inclusive, no automobilismo. A Fórmula 1, embora muito fantástica de se acompanhar pelos carros, duelos e ultrapassagens, tais como na temporada 2021, só é o que é devido ao interesse da indústria automobilística em desenvolver produtos/tecnologias que sejam possíveis de se empregar em carros urbanos, o que efetivamente vai gerar lucros e pagar a conta, diga-se de passagem.


O mesmo se reproduz no mundo da bicicleta: o race (equipes/marcas/fábricas) cria soluções, testa e todos nós podemos comprar e usufruir daquilo nas ruas e nas trilhas em qualquer parte do mundo.


Aqui na Corcovas também fazemos muito isso, é bem comum testarmos vários protótipos de produtos (haja dinheiro $$$) nas corridas e somente após termos o veredito dos pilotos é que aí sim podemos colocar a venda para todos.


Mas e o canote retrátil? Vamos lá!


O canote retrátil foi criado para a modalidade Enduro Mountain-Bike, pois nessa modalidade o atleta precisa descer as ladeiras/trilhas quase como se estivesse numa prova de Downhill, mas em seguida tem que subir morros e fazer deslocamentos como em provas de Cross-country (XC).


Daí, se fez necessário que o banco/canote ficasse abaixado para o piloto ficar em pé na bike, jogando o seu corpo para trás - mudança de centro de gravidade, e, em seguida, voltasse o banco para a posição original sem precisar descer da bike, tendo que fazer tudo isso de forma manual e perdendo muito tempo - cada segundo vale muito nessa modalidade.


Então, alguém teve a brilhante ideia de fazer tudo isso por meio de um botão no guidão que, em resumo, sobe e desce o banco quando você precisa, sem fazer você descer da bicicleta. Grande dia!


Por que preciso dele?


Para não cair, jovens. É isso em resumo, mas isso é só resultado do que realmente ocorre. O canote retrátil é realmente muito eficiente em descidas, pois o piloto (quem pilota é piloto, jovem) consegue abaixar o banco, deixar seus joelhos mais flexionados e inclinar seu quadril em direção à roda traseira, isso faz com que a bicicleta não se incline e vire para frente.


Do contrário, caso o banco não se abaixe, você não consegue movimentar seu quadril livremente sobre a parte traseira da bike, o que deixa seu peso mais na dianteira, daí, virar de frente se torna algo iminente, não queremos isso...



Canote retrátil da bicicleta elétrica Specialized Levo SL
Canote retrátil abaixado da E-Bike Specialized Levo SL


"Não faço Enduro, não preciso disso e quero uma bicicleta leve":


É aí que você se equivoca, jovem gafanhoto. Os primeiros tipos de canotes retráteis realmente eram bem pesados e tinham muito curso (desciam muito o banco), mas hoje a coisa mudou significativamente, pois existem modelos que foram criados exclusivamente para bikes de Cross-country (XC/XCO) e possuem cursos menores e são bem mais leves. É só correr os olhos nas provas do Campeonato Mundial de XCO da UCI e verás que é verdade o que digo, amigo.


Curso do canote retrátil da E-Bike Specialized Levo SL
Curso do canote retrátil da E-Bike Specialized Levo SL


Foto da bike e canote retrátil usado por Henrique Avancini (Cannondale Factory Team).
Foto: Blog PQP



O próprio Henrique Avancini (Canondale Factory Team)

utiliza esse brilhante invento. No caso dessas bicicletas de XC, as decidas são menos íngremes, então o atleta não precisa ir tanto para trás com seu quadril, logo, o canote retrátil usado será com menos curso e bem mais leve.






Vale mesmo a pena?


Talvez você se pergunte isso ainda, mas te digo, com a propriedade de quem já fora livrado de capotar de frente por essa brilhante invenção, que se fosse escolher entre uma melhoria de suspensão e um canote retrátil, eu colocaria aquele botãozinho mágico no meu guidão, sem dúvidas.


Qual escolher?


Há vários modelos, mas entendo que a diferença de preço é pequena e que vale mais a pena colocar um modelo com acionamento remoto (botão no guidão).


É isso, amigos! Segurança e conforto!


Agora confere aqui lugares sensacionais para pedalar!


Gostou? Fala com a gente aqui nos comentários e também conte sua experiência com esse brilhante invento!







33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo